Home » Notícias, Novidade

Venezuela: rumo ao sistema de economia socialista até 2019

Amaro 31 julho 2014 0 Comentários

Hoje, praticamente, apenas Cuba sustenta um sistema econômico socialista, mas essa realidade está prestes a mudar. Neste domingo, 27 de julho, durante o III Congresso do Partido Socialista Unido da Venezuela (Pusv), realizado em Caracas, o presidente Nicolás Maduro surpreendeu com a notícia de que, até 2019, o país sofrerá uma transição rumo a uma economia socialista. Esta será a principal tarefa da Revolução Bolivariana nos próximos quatro anos.

“A agenda e tarefa fundamental da Revolução Bolivariana de hoje a 2019 é econômica, a construção do aparato produtivo econômico do país e o arranque das forças produtivas do país, o avanço e progresso da transição econômica socialista são a tarefa principal”, manifestou Maduro, acrescentando que este é o ponto fundamental para a consolidação de todo o processo histórico da Venezuela.

Maduro destacou que o país tem boas experiências que permitiram avançar na construção do novo modelo econômico, como a área industrial com a Petróleos da Venezuela (Pdvsa), que gerou bons dividendos, revertidos na geração de bem estar social. O mandatário lembrou também a Siderúrgica do Turbio S.A. (Sidetur) – nacionalizada em 2010 –, que vem batendo recordes de produção.

O presidente venezuelano citou ainda a Companhia Anônima Nacional Telefones da Venezuela (Cantv), empresa que está gerando uma renda significativa para o país e oferecendo os melhores serviços em Internet, telefonia fixa e móvel e TV paga.

Para debater o assunto com mais profundidade, o mandatário sugeriu a realização – em dezembro deste ano – de uma Conferência Nacional Extraordinária, com a partição de convidados de dentro e fora do país, a fim de se discutir como único tema o projeto econômico de transição da Revolução Bolivariana ao socialismo.

Ainda tocando no tema da economia, Maduro pediu aos militantes que assumam, com iniciativas concretas e palpáveis, em comunidades, municípios e estados, a ofensiva do governo contra a “guerra econômica da direita”, que pretenderia acabar com o processo revolucionário, por meio da especulação, do monopólio e do contrabando.

O governo venezuelano vem denunciando. Internacionalmente, uma guerra econômica que estaria sendo desatada pela direita, com apoio dos Estados Unidos. Para enfrentá-la, desde abril último, o governo ativou uma ofensiva, que compreende impulsionar a produção nacional, garantir abastecimento e preços justos.

Madurou chamou ainda os militantes a definirem qual é a agenda econômica para acelerar, melhorar e ampliar a transição a uma economia produtiva socialista.

Com informações da Agência Venezuelana de Notícias

Fonte: ADITAL



Deixe um comentário!

Coloque o seu comentário abaixo, ou link de volta a partir do seu site. Pode também subscrever estes comentários via RSS.

Seja cordial. Respeite o assunto do tópico. Não faça spam.

Pode usar estas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este blog usa Gravatares. Para obter o seu próprio avatar-globalmente-reconhecido, por favor registe-se em Gravatar.